Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Quarta, 26 Dezembro 2018 15:14
RECORDE

Impulsionado pela Sedetur, artesanato alagoano bate R$ 1 mi em vendas em 2018

Produtos foram comercializados em feiras e eventos de todo o país e ganharam loja-conceito em Maceió

Visibilidade dada ao artesanato e aos nossos artesãos agrega valor ao produto Visibilidade dada ao artesanato e aos nossos artesãos agrega valor ao produto (Fotos: Kaio Fragoso)
Texto de Soraya Leite

As atividades da Gerência de Design e Artesanato da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) chegam ao fim de 2018 com um saldo bastante positivo. A participação dos artesãos locais em feiras e eventos por todo o país obteve recorde de vendas, atingindo a marca de R$ 1 milhão em produtos comercializados. O valor arrecadado superou o total de 2017, que ficou na casa dos R$ 700 mil.

O bom desempenho se deve ao conjunto de ações e políticas públicas adotadas pelo Governo do Estado, por meio da Sedetur, ao longo dos últimos quatro anos, com o intuito de promover a arte popular alagoana de forma organizada e sistemática.

(Fotos: Kaio Fragoso)

Para a gerente de Desingn e Artesanato da secretaria, Daniela Vasconcelos, todo esse sucesso é fruto do esforço da Sedetur, em parceria com o Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) e o Sebrae/AL, para oportunizar a participação dos artesãos em eventos locais e nacionais, dando maior projeção ao que é produzido aqui.

“A visibilidade dada ao artesanato e aos nossos artesãos é muito importante, uma vez que agrega valor ao produto e evidencia a qualidade da arte popular existente no estado”, disse Daniela Vasconcelos.

(Fotos: Kaio Fragoso) 

Alagoas possui mais de 14 mil artesãos cadastrados e uma variedade de tipologias que encanta a todos. Do barro à madeira, da fibra da bananeira à taboa, da renda de bilro ao bordado filé, sementes, casca e o couro de tilápia, tudo ganha vida pelas mãos de artistas talentosos. Não é à toa que muitos deles já ganharam importantes prêmios e ultrapassaram fronteiras, conquistando os mercados nacional e internacional, como os mestres André da Marinheira, Dona Irinéia e João das Alagoas, estes dois últimos, inclusive, registrados como Patrimônio Vivo do Estado de Alagoas.

Por meio do projeto Alagoas Feita à Mão, idealizado pela primeira-dama Renata Calheiros, os artistas alagoanos saíram do anonimato e vêm ampliando o contato com compradores de todo o Brasil.

(Fotos: Kaio Fragoso) 

Participação em feiras nacionais - Umas das principais medidas adotadas pela Sedetur para garantir a expansão da produção artesanal foi a instituição de edital para a seleção de profissionais para participar de feiras e eventos.

A iniciativa já garantiu a presença de diversos artesãos na Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte), no Salão do Artesanato, em São Paulo; na Feira Nacional do Artesanato, em Belo Horizonte, entre outros, com excelente desempenho em vendas e negócios. A emissão da carteira do artesão também reforça o processo de profissionalização do segmento em Alagoas.

“A presença do artesanato alagoano em outros estados é uma forma de fomentar a atividade. As feiras colocam esses profissionais em evidência, gerando novas oportunidades. Isso é essencial, quando partimos do ponto de vista que essa é uma importante atividade econômica em Alagoas e a única fonte de renda da maioria dos artesãos”, afirma o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

Como forma de dar mais visibilidade ao artesanato local, recentemente o Governo do Estado, por meio da Sedetur, instalou três novas esculturas gigantes de mestres alagoanos na orla de Maceió. “O Beijo”, da Dona Irinéia; o “Boi Bumbá”, de João das Alagoas; e o “Leão”, de André da Marinheira, unem-se à “Sereia”, do mestre Zezinho, para formar o Circuito Alagoas Feita à Mão, mostrando toda a riqueza da arte popular local.

(Fotos: Kaio Fragoso) 

A Loja Alagoas Feita à Mão, inaugurada na última sexta-feira (21), no corredor Vera Arruda, vem reforçar todo o trabalho de promoção da arte local junto aos alagoanos e turistas. Até o dia 21 de fevereiro, a loja-conceito funcionará em sistema de rodízio para comercializar o artesanato genuinamente alagoano nas suas mais diferentes tipologias.

“Queremos chamar a atenção não só de quem nos visita, mas, também, de quem vive aqui. Nosso artesanato já é bem conhecido lá fora e Alagoas sempre desponta entre os estados que mais vendem em feiras. Os grandes players da decoração e das artes já atestaram a qualidade dos nossos produtos. Então, você se pergunta: em quantas casas alagoanas têm uma peça de um de nossos artesãos? Essas intervenções vão fazer com que todos conheçam o verdadeiro artesanato alagoano e sintam orgulho da nossa arte”, reforçou Rafael Brito.