Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Terça, 20 Março 2018 15:03
VALORIZAÇÃO CULTURAL

Festival Alagoas Feita à Mão e entrega de carteiras marcam celebrações da Semana do Artesão

Até o próximo domingo (25), aproximadamente 40 artesãos expõem e comercializam suas produções em shopping de Cruz das Almas

Até o próximo domingo (25), aproximadamente quarenta artesãos irão expor e comercializar suas produções em shopping. Até o próximo domingo (25), aproximadamente quarenta artesãos irão expor e comercializar suas produções em shopping. Kaio Fragoso
Texto de Débora Vieira

"É uma comemoração diferenciada, uma oportunidade de expor e comercializar meu trabalho. Além disso, é uma honra representar meu pai, Manoel da Marinheira, durante este Festival”. É assim que o Mestre André da Marinheira define o Festival Alagoas Feita à Mão, que teve início na segunda-feira (19), na Praça Central do Parque Shopping, e marca as ações em celebração à Semana do Artesão em Alagoas.

Reconhecido como Mestre Artesão, André aprendeu a esculpir em madeira com seu pai no município de Boca da Mata e faz disso sua profissão há mais de 35 anos. Com dedicação e desejo de reproduzir a cultura local de alguma forma, o artesão imprimiu personalidade nas suas obras, transformando-se em um dos principais nomes do artesanato alagoano. É tanto que só em um único dia do Festival comercializou 14 peças e recebeu outras encomendas.

“Já estou sentindo o clima do Festival, que nesta edição é diferenciada, pois é realizada em um shopping, e por conta da grande movimentação do local, nos oferece uma oportunidade única de comercializar e expor nossas peças”, opina o Mestre, que participou também de outras edições do evento, que antes era denominava-se Semana do Artesão.

Diferentemente de André, é a primeira vez que Josefa Severiano participa em um evento idealizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). Com peças em renda de bilro, a artesã acredita no Festival como uma semana de valorização do trabalho dos artesãos locais.

“A minha irmã, a Mestre Maria Severiano, sempre participou, mas essa é a minha estreia em feiras desse tipo. Acredito que seja uma maneira dos artesãos aparecerem e sinto que em Alagoas somos valorizados. Se não fossemos reconhecidos, ninguém ia nos procurar para fazer parte de tudo isso. A sensação é de realização em ter sido convidada e de estar comemorando o Dia do Artesão aqui”, compartilha Josefa.

O festival

Até o próximo domingo (25), aproximadamente quarenta artesãos irão expor e comercializar suas produções no shopping de Cruz das Almas. Os transeuntes poderão conferir as mais diferentes tipologias do artesanato alagoano como fios e tecidos, barro, madeira e fibras vegetais.

Na mostra, é possível encontrar peças dos Mestres artesãos Patrimônios Vivos do Estado: André da Marinheira, Maria Severiano, Arlindo Monteiro e Vânia Oliveira. Além deles, participam do evento alguns grupos, como Associação de Artesãs do Pontal de Coruripe, Associação do Pontal da Barra, Amor Caseado, Crochê, Fulô A, Fibra Chã, Coité Iluminado e Mimos de Dona Peró. Além de artesãos como Demode, Solange Arruda, Karine Quintiliano, Mari Assis, La Gaveta, Eneide, Nena, José Firmo e Tati Barros, entre outros.

Profissionalização

Integrando ainda a agenda das ações em comemoração ao Dia do Artesão, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, entregou de mais 120 carteiras de artesãos do município de Coruripe, Litoral Sul de Alagoas. A ação aconteceu no Pontal de Coruripe e contou com a participação de centenas de artesãos locais. Com a entrega, o município conta, agora, com 1.291 artesãos cadastrados no Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), coordenado em Alagoas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur).

A carteira do artesão garante a isenção do ICMS na emissão de notas fiscais avulsas. Além disso, portando o documento, o artesão pode se inscrever em editais abertos pela Sedetur para levar seu trabalho para feiras de artesanato realizadas em todo o País. Em Alagoas, aproximadamente 14 mil artesãos são registrados no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab), e 60% destes artesãos vivem somente da produção artesanal.

Para a artesã Da Luz, 71 anos, que trabalha com palha de Ouricuri desde os sete anos de idade, o documento representa o reconhecimento à sua produção artesanal. “O artesanato faz parte da renda familiar de muita gente, inclusive da minha, é importante profissionalizar o nosso ofício“, explica a artesã.

A Desenvolve ainda lançou uma linha de crédito para atender aos artesãos alagoanos. A Pró-Artesão foi elaborada para proporcionar ao segmento as condições necessárias para estimular a atividade sem onerar os pequenos negócios. A linha permitirá liberação de recursos de até R$ 15 mil, com taxa de 1,4%, 24 meses para pagamento e até 90 dias de carência.

O secretário Rafael Brito explica que o Festival, a emissão de carteias dos artesãos e a Pró-Artesão integram uma série de ações promovidas pelo Governo do Estado para valorização do artesanato genuinamente alagoano.

“Esse trabalho coloca em evidência o dom, a dedicação e a importância dos artesãos tanto para nossa cultura como para a economia local. Ações desta natureza geram visibilidade aos profissionais, promovendo o seu desenvolvimento socioeconômico”, finaliza Brito.

INSTAGRAM