Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Quinta, 04 Janeiro 2018 14:29

Minissérie gravada em Piranhas estreia na Rede Globo

Os lindos cenários de tirar o fôlego dos Cânions do rio São Francisco e do Sertão alagoano são mais uma vez palco de uma grande produção cinematográfica. Dessa vez é a série “Entre Irmãs”, que estreou na última segunda-feira (2) e terá quatro capítulos, sendo exibida em horário nobre, após a novela das 21h, na Rede Globo.

Com produção da Conspiração com Globo Filmes, “Entre Irmãs” esteve nas telonas em formato de filme no último trimestre do ano passado. Com cenas gravadas em Piranhas, no Sertão de Alagoas e nas cidades de Recife e Olinda, em Pernambuco, a série conta a história de Luiza e Emília, duas irmãs órfãs vividas pelas atrizes Nanda Costa e Marjorie Estiano, que são separadas pelo destino. A primeira é resgatada por um bando de cangaceiros e a segunda realiza o sonho de casar e ir morar na capital pernambucana.

 

 

O secretário de Cultura e Turismo de Piranhas, Jairo Luiz Oliveira, conta como se deu a escolha da cidade por parte da produção. “O Breno Silveira, diretor reconhecido internacionalmente, nos visitou no início de 2016 e se apaixonou pela cidade. Fez o estudo de locação e com isso cerca de 90% das cenas foram gravadas aqui, desde o centro histórico, o leito do rio e a zona rural”, ressalta Jairo.

Ainda segundo o secretário Jairo Luiz, a produção cinematográfica mobilizou a cidade, gerando emprego e renda para a população. “Foram meses de gravação, onde vários piranhaenses trabalharam na figuração, incluindo atores da cidade que tiveram destaque na história. Além de ter impactado na rede de hotéis e restaurantes”, conta.

O secretário de Cultura e Turismo de Piranhas, Jairo Luiz Oliveira, conta como se deu a escolha da cidade por parte da produção. “O Breno Silveira, diretor reconhecido internacionalmente, nos visitou no início de 2016 e se apaixonou pela cidade. Fez o estudo de locação e com isso cerca de 90% das cenas foram gravadas aqui, desde o centro histórico, o leito do rio e a zona rural”, ressalta Jairo.

Ainda segundo o secretário Jairo Luiz, a produção cinematográfica mobilizou a cidade, gerando emprego e renda para a população. “Foram meses de gravação, onde vários piranhaenses trabalharam na figuração, incluindo atores da cidade que tiveram destaque na história. Além de ter impactado na rede de hotéis e restaurantes”, conta.

INSTAGRAM