Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Quinta, 19 Agosto 2021 12:18

Encontro discute formalização de produtores da cadeia da mandioca em Teotônio Vilela

Nova indústria de beneficiamento de mandioca começa a operar em setembro e deve reordenar a produção da raiz na região do Agreste.

Encontro discute formalização de produtores da cadeia da mandioca em Teotônio Vilela Fotos: Ascom Teotônio Vilela
Texto de Isabella Padilha

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, através da Superintendência de Desenvolvimento Regional e Setorial (Suder) e da Superintendência de Indústria, Comércio e Serviços (Sics), mediou na manhã desta quarta-feira (18), um evento sobre a expansão da cadeia produtiva da mandioca em Alagoas.

O encontro foi sediado na sede da Amafil, indústria de beneficiamento de mandioca instalada no polo industrial de Teotônio Vilela, que começa a operar em setembro. A Amafil vai impulsionar a economia do interior de Alagoas com a compra de mandioca de agricultores da região e comercialização dos produtos beneficiados, retirando produtores e comerciantes da informalidade.

“A chegada da Amafil é um divisor de águas para o agronegócio do estado. Ela traz a interiorização da industrialização, pois está localizada em Teotônio Vilela, e traz também a oportunidade da estruturação de uma nova cadeia produtiva para o estado. Ou seja, é um empreendimento que vai gerar desenvolvimento econômico e inclusão produtiva por propiciar oportunidades ao agricultor familiar” destaca o superintendente da Sics, André Gomes.  

A indústria se instala no estado com investimentos na ordem de R$ 26 milhões, e deve gerar mais de 1 mil empregos diretos e indiretos, além de reordenar o setor, formalizando a produção e a política de venda e compra dos produtos. A previsão é que a fábrica beneficie cerca de 7 mil toneladas de mandioca por mês.

Para o superintendente da Suder, Alay Correia, a chegada da indústria em Alagoas é um marco para a cadeia da mandiocultura e para os pequenos e médios produtores da raiz.

“Desde o princípio da instalação da Amafil aqui em Alagoas, o estado esteve presente dando apoio, incentivos e agora nós precisamos garantir o fortalecimento da produção. É muito importante que haja um entendimento entre os produtores, a indústria e o governo, construindo uma política que seja boa para quem produz e para quem compra. É uma possibilidade grande para o fortalecimento da cadeia produtiva da mandioca e o crescimento do processo de produção através da participação de todos”, reitera o superintendente da Suder.