Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Quarta, 08 Novembro 2017 20:06
EM ANDAMENTO

Secretário Rafael Brito vistoria obras do Marco Referencial de Maceió

Espaço será mais um atrativo turístico da capital, com gastronomia, lazer e apresentações culturais

Marco Referenciual terá capacidade para 1,5 mil pessoas e está sendo construído em substituição às ruínas do antigo Alagoas Iate Clube. Marco Referenciual terá capacidade para 1,5 mil pessoas e está sendo construído em substituição às ruínas do antigo Alagoas Iate Clube. Kaio Fragoso
Texto de Thiago Tarelli

Em meio a uma das mais marcantes paisagens de Maceió, a praia de Ponta Verde, o Marco Referencial será mais um atrativo turístico da cidade. O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, acompanhou o titular da pasta estadual de Infraestrutura, Humberto Carvalho, responsável pela obra, e a procuradora do Ministério Público Federal, Raquel Teixeira, em visita técnica ao canteiro de obras, na manhã desta quarta-feira (8).

Com investimentos do Governo do Estado e do Ministério da Integração Nacional, o orçamento para a primeira etapa do projeto é de R$ 9,3 milhões. O Marco terá capacidade para 1,5 mil pessoas e está sendo construído em substituição às ruínas do antigo Alagoas Iate Clube.

“O Marco Referencial é uma reivindicação antiga do trade turístico. Depois de pronto, teremos a missão de administrá-lo, transformando o local em um grande ponto turístico da capital, com gastronomia, cultura e lazer tanto para o turista como para o alagoano. Além disso, o Marco será mais um gerador de emprego e renda para a população, uma vez que vai abrigar quiosques para alimentação, concha acústica e espaço cultural climatizado”, explica o secretário Rafael Brito.

A previsão para a inauguração do Marco Referencial é o fim do primeiro semestre de 2018. A obra segue todas as recomendações e exigências do Ministério Público Federal (MPF) e do Instituto do Meio Ambiental de Alagoas (IMA). Quando concluído, o espaço também servirá de base para uma câmera de monitoramento remoto do Instituto do Meio Ambiente (IMA), para a fiscalização da piscina natural, que já é acompanhada, periodicamente, pelos técnicos da equipe de Gerenciamento Costeiro (Gerco).